DICIONÁRIO DE INGLÊS
  • São mais de 33 mil verbertes;
  • Inglês / Português;
  • Português / Inglês;
  • Permite adicionar novas palavras;
  • Link para diversos dicionários.
Clique aqui para baixar!
 
   
Voltar à página principal... Saiba com é o nosso curso.Perfil dos nossos alunos Entre em contato com nossa equipe Artigos e Notícias publicados pela mídia em geral Faça sua matrícula agora

Chegamos aos
3.950 alunos

Saiba mais >>

 
Esqueci a Senha
Convide um amigo para conhecer nosso site.
Você pode ganhar uma mensalidade GRÁTIS!
 
  Você
Nome:
E-mail
   
  Seu Amigo
Nome:
E-mail:
 
 
 
Voltar
Leitor deve ter papel ativo para a leitura ser interativa
As intenções do texto
Ao lermos um texto escrito, o sucesso de nossa leitura se dá na medida em que procuramos estabelecer uma interação com o autor. Se considerarmos que o leitor é um agente, que não tem um papel passivo durante o ato de ler, mas que é um sujeito que atribui significado ao texto, que procura as pistas deixadas pelo autor, que busca se aproximar do sentido que este quer dar ao texto, podemos fazer da leitura um lugar onde há reciprocidade.

Em relação aos textos do gênero argumentativo (artigos, editoriais, cartas de reclamação, etc.), textos em que se procura convencer o leitor a aceitar uma opinião ou mesmo adotá-la para si, desvendar as intenções do autor materializadas em argumentos que sustentam uma posição e em evidências que, por sua vez, ancoram os argumentos, significa estar aberto a rever suas próprias opiniões.

Nossas pré-noções
Quando lemos, nem sempre estamos atentos às pistas textuais, aquelas dicas deixadas pelo autor para que nos aproximemos do que este quis nos dizer. Muitas vezes, isso ocorre porque - ao usarmos todo o nosso conhecimento prévio (lingüístico, textual e de mundo) na ação de ler - o sentido que atribuímos ao texto é mediado por nossas pré-noções.

Aquilo que pensamos sobre o assunto em questão, nosso conhecimento do gênero textual e da língua nos conduzem a elaborar algumas hipóteses sobre o texto. No entanto, um leitor cuidadoso e interessado deve rever a pertinência de suas hipóteses ao longo da atividade de leitura e buscar se aproximar da intenção comunicativa.

Alguns elementos do texto podem contribuir muito para que isso seja possível, sobretudo quando se trata da leitura de um texto em inglês ou em outra língua estrangeira. Isso porque como o texto não é escrito na nossa língua e, portanto, não dominamos muito bem as características do contexto sociocultural em que se deu a situação de produção discursiva, encontraremos mais dificuldade em nos aproximarmos de suas intenções. Para esse esforço ser minimizado, vale a pena conhecer como o texto foi elaborado.

A elaboração do texto
O texto objeto de nossa análise é uma resenha de um livro supostamente de interesse de áreas como economia, ciências humanas, meio ambiente e planejamento. Uma leitura rápida dos elementos destacados no texto nos fornece essas informações. Basta ver o rodapé em que essas áreas e o preço do livro são revelados, e o que está escrito entre parênteses.

Em geral, as resenhas de livros veiculadas nas capas dos mesmos têm como intenção convencer o leitor de que sua leitura vale a pena. Além disso, procuram apresentar o tema tratado na publicação e o enfoque dado a ele. Assim, apresentam um viés argumentativo muito explícito, tanto no sentido de convencer o leitor a ler o livro como no sentido de promover sua adesão ao enfoque dado ao tema.

A informação trazida entre parênteses e o título da resenha nos sugerem que a resenha aborda o tema da fome. Antes de ler, tente imaginar como esse tema será apresentado no texto e, ao ler, procure checar suas hipóteses.
Fonte:

Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação
Celina Bruniera é mestre em Sociologia da Educação pela USP e assessora educacional para a área de linguagem.
05/01/2012 - O inglês que o mundo vai falar
   Quase todo dia você ouve alguém acender o sinal vermelho. Falar inglês é fundamental, sem ele ninguém vai conseguir boas oportunidades profissionais etc…


01/01/2012 - Estudo de idioma pede muita leitura
    Negligenciada por muitos, um bloqueio para outros, a prova de língua estrangeira dos vestibulares pode ser a diferença entre ser aprovado ou não


25/12/2011 - Vocabulário deve ser aprimorado
   Para quem ainda está inseguro com a prova de inglês, a saída até o início dos vestibulares é a dedicação regular.


20/12/2011 - Apostando no ensino a distância
   Vez ou outra sou convidado a participar de uma conferência pela web. Geralmente para apresentação de algum novo produto.


10/12/2011 - To be or not to be?
   Com quatro horas de inglês semanais, João já consegue se comunicar.


30/11/2011 - Leitor deve ter papel ativo para a leitura ser interativa
   Ao lermos um texto escrito, o sucesso de nossa leitura se dá na medida em que procuramos estabelecer uma interação com o autor.


20/11/2011 - Dicionário inglês-inglês: você pode e deve usá-lo
   Você já notou que um dos conteúdos mais difíceis quando aprendemos inglês é o emprego de preposições?


10/11/2011 - Normas gramaticais
   Elas não são um bicho de sete cabeças


Índice completo..
by: WEBCONN